A Ligação Oprah – Weinstein

A Ligação Oprah – Weinstein

Petição online para que  apresentadora Oprah Winfrey repudie Harvey Weinstein atingiu mais de 22.000 subscritores. A posição de Oprah como “presidenciável” nas próximas presidenciais americanas começa a ficar comprometida.

Uma petição pedindo que Oprah Winfrey renegue Harvey Weinstein – o produtor cinematográfico acusado de ter praticado reiterados assédios sexuais sobre actrizes e celebridades dos ecrãs – já atingiu 22 mil subscritores.

A apresentadora de televisão americana é acusada de ter ligações muito próximas a Harvey Weinstein, nomeadamente, por a sua carreira de celebridade ter sido à custa da estreita colaboração com este. A ligação profissional entre Weisntein e Winfrey é tida como de grande proximidade, remontando a pelo menos duas décadas. Já depois do escândalo ter rebentado, Oprah Winfrey mostrou-se solidária junto de Harvey Weinstein, prestando-lhe apoio.

A petição refere também que uma actriz britânica – Kadian Noble – num evento de 2014, em Londres,  chegou a conheceu Weinstein, através de Oprah. Weinstein teria recorrido a Oprah para atrair a atriz junto de si, com a promessa de promover a sua carreira. Nesse evento, a actriz disse que Oprah estava encostada a Weinstein. Noble alegou que – nesse evento – teria sido violada por Weinstein, tendo proposto uma acção judicial num Tribunal de Nova Iorque em Novembro de 2017. Neste momento, o litígio encontra-se pendente e as acusações não estão provadas.

Enquanto porta-voz da actriz, o advogado Jeff Herman sugeriu que Harvey Weinstein nunca poderia ter chegado a fazer o que fez a Kadian e outras mulheres, sem ter a assistência de cúmplices bem informados.

Os autores da petição acusam ainda Oprah de duplicidade e hipocrisia, salientado que esta – tal como muito famosos de «Holywood» – resolveram manter-se em silêncio após terem conhecimento das prácticas de Weinstein, assediando sexualmente mulheres. “Todos sabiam disso”, afirmou Scott Rosenberg, actor e produtor, cujos dois primeiros filmes foram distribuídos pela «Miramax», empresa pertencente a Bob e Harvey Weinstein.

Anos antes do escândalos sexuais de Weinstein virem a público, a petição afirma que famosos como Seth McFarlane e Courtney Love, já tinham conhecimento das respectivas prácticas. Matt Damon e Ben Affleck foram também outros nomes referidos, sabendo de alegados assédios sexuais de Weinstein sobre a actriz Gwyneth Paltrow, tendo preferido guardar silêncio.

Na petição, os autores revelam-se ainda chocados com a atitude de Winfrey na gala dos “Globos de Ouro”, um evento anual organizado em Los Angeles (EUA) pela Associação de Correspondentes Estrangeiros de Holywood, que reúne as celebridades e famosos dos ecrãs norte-americanos, acompanhado por milhões de fãs em todo o mundo.

Lançando violentas críticas a Oprah Winfrey, os autores da petição afirmam que Winfrey não tem moralidade alguma para representar as vítimas de assédio sexual ao não ter condenado abertamente tais prácticas no seu discurso de apresentação da gala dos “Globos de Ouro”, sobretudo quando teve notório conhecimento das mesmas.

Na petição, são ainda divulgadas várias fotografias mostrando Oprah com Weinstein em vários eventos públicos, revelando nítida cumplicidade e troca de afectos entre ambos. Desconhece-se ainda qual o impacto potencial que a ligação Weinstein possa ter numa possível candidatura da apresentadora às eleições presidenciais norte-americanas de 2020, pelo partido Democrata.

Esta não é a primeira vez que Oprah Winfrey é alvo de polémica pelas suas atitudes. Em 2013, em entrevista à estação televisiva britânica BBC, Winfrey defendeu que para os problemas de racismo e preconceito racial serem resolvidos teria que morrer primeiro a “peste grisalha” de racistas brancos.

À medida que vão surgindo mais detalhes sobre a relação entre Oprah Winfrey e Weinstein, a posição de Oprah num eventual projecto de candidatura sua para as próximas eleições presidenciais americanas começa a ficar comprometida.

Agora, numa última réplica do caso Weinstein, é Seal quem aponta responsabilidades à apresentadora, pois segundo o cantor Oprah teria conhecimento sobre o comportamento de Weinstein há várias décadas.

Num tweet que teve mais de 14 mil gostos de fãs, com duas fotografias contrapostas – em que se vê Oprah a trocar afectos com Weinstein na primeira imagem, mantendo distância  dele na segunda – Seal escreveu em jeito de ironia “Quando és parte do problema durante décadas e de repente achas que podes fazer parte da solução”.