Ano novo, estagnação agravada

Ano novo, estagnação agravada

2019 deu-nos as boas vindas. Todos demos os votos que seja um bom ano, cheio de ilusões e esperanças renovadas, mas que ano será este?

Desengane-se o leitor que pense que 2019 reserva mudanças significativas no que toca a Portugal.

Um pais que segrega e exclui activamente os seus mais leais patriotas, os seus mais devotos e melhores talentos, em nome de caprichos do politicamente correcto. Um país incapaz de confrontar a sua própria verdade, um país falhado em todas as suas dimensões, que persiste numa cultura de superficialidade encenada.

Que futuro se pode esperar de um pais que promove ostensivamente a mediocridade, a corrupção total e a decadência a céu aberto? Apenas o seu progressivo apagamento, um caminho que leva à destruição de um país, da sua cultura, da sua alma e de todos os valores que constituem os garantes da continuidade de uma Nação.

Falemos a verdade.

Neste país, onde predomina a linguagem da imprensa prostituída, dos poderes públicos corruptos, dos mercenários económicos vende-pátrias, não se pode esperar soluções credíveis pelos meios oficiais. O sistema social de poderes  instituído em Portugal, corporativista e hipócrita, é ele próprio responsável pelo agravamento da estagnação do país, mais interessado em promover guerras oportunistas de facções do que na defesa do interesse geral de todos os cidadãos.

Das grandes empresas ao micro-empresário, dos políticos do sistema  aos sindicatos e ordens profissionais, todos têm a sua quota parte da responsabilidade pela tremenda ausência de oportunidades, crescente agravamento das desigualdades económicas e consequente exclusão social de largas franjas da população portuguesa.

A culpa morre solteira num pais que humilha e ataca os seus mais leais patriotas. Sinal de uma sociedade prepotente e amoral, incapaz de compreender os desafios urgentes que se colocam sobre o país.

É este o país de liberdade, democracia e igualdade que os pais da 3ª República prometeram e tão entusiasticamente haviam proclamado? Como se atrevem esses fariseus a pregar liberdade e democracia, quando sabem que a voz dos portugueses sérios e patriotas é diariamente silenciada por batalhões de jornalistas mercenários, cronistas, escritores e comentadores prostituídos, ao serviço da corrupção, da agiotagem internacional e da hipocrisia? É um triste espectáculo esta democracia, onde só têm voz corruptos donos de grandes fortunas mais os seus mandatários,  cujo lucro advém da exploração incansável do sangue e suor dos portugueses.

Como têm o desplante de afirmar que Portugal é hoje um país livre quando centenas de milhares de jovens são activamente segregados das suas profissões por motivos políticos e ideológicos, condenados a uma marginalidade punitiva, enquanto uma aliança de mercenários económicos, seitas diabólicas, políticos do sistema corruptos se diverte a destruir as potencialidades, a cultura e a alma  de todo um país?

Como podem afirmar que Portugal é uma democracia quando banqueiros corruptos e burlões passeiam impunemente sem quaisquer consequências? Quando processos crime ligados à corrupção económica e financeira prescrevem ou terminam sem condenações credíveis?

Acordem portugueses sérios! Levantem-se contra a corja infecta de corruptos, aqueles que vos infernizaram e querem continuar a infernizar as vossas vidas. Levantem-se contra quem roubou os vossos sonhos, em nome da ganância, corrupção e subserviência a agiotas internacionais!

Aqueles que se riem dos patriotas nas suas festas privadas, enquanto milhares de famílias comem um pacote de bolachas porque não sabem se ao fim do mês podem deixar de pagar a renda de casa, o combustível, a luz, o passe social ou a conta da água!

Aqueles que vivem de clientelas, favores, burlas e roubo de dinheiros públicos enquanto tu tens de trabalhar de sol a sol, ganhando um salário que mal dá para viver!

Aqueles que impunemente deixam os criminosos à solta e prescrever processos, porque tu tens de pagar as contas milionárias dos desfalques e sacos azuis que cometeram, enquanto os políticos do sistema protegem as contas “offshore” desses burlões e amnistiam-nos com perdões fiscais!

Em particular, não te esqueças, português de verdade, de todos os portugueses eleitores que, cientes de todo o inferno que os políticos do sistema provocaram e continuam a provocar, insistem em votar – eleição após eleição – nos mesmos políticos do sistema que levaram o país à ruína! Aqueles que preferem o mais do mesmo politicamente correcto, os que preferem a estagnação conformista, a apatia e a resignação a caminhos alternativos, credíveis e que garantam a moral pública e a punição exemplar da corja corrupta!

A todos os patriotas que não se identificam com este regime nauseabundo mais os seus agentes colaboracionistas, votos de um excelente ano novo, cheio de combatividade contra a escumalha que infecta o território nacional!

A Redacção.

P.S.: Este artigo, em conformidade com a política de redacção, é todo ele escrito ao abrigo da grafia anterior ao AOLP.